FANDOM



Brasileiro lê 1,5 livro por ano, enquanto francês lê 20

01/03/2006

O brasileiro nunca foi afeito à leitura. Essa constatação preocupante, contudo, foi contabilizada. [...] o leitor nativo lê sete vezes menos do que a média mundial (10 livros).

[...] "O problema não é só do poder público, mas também da falta de hábito do brasileiro pela leitura", ponderou Serra. [...]

http://www.meionorte.com/noticias/politica/brasileiro-le-1-5-livro-por-ano-enquanto-frances-le-20-9880.html



A pesquisa “Retratos da leitura no Brasil”, realizada pelo Instituto Pró-Livro em 2007, revela que a média anual de leitura da população brasileira, fora do que é solicitado pela escola, é de 1,3 livros. Esse é um número considerado baixo, em comparação com outros países. Nos Estados Unidos, por exemplo, em 2006, a média de leitura fora da escola era de 5,1 livros por ano. Na França, a média foi de 7 livros lidos, na Inglaterra 4,9 e na Colômbia 2,4.

http://pnc.culturadigital.br/metas/media-de-quatro-livros-lidos-fora-do-20-aprendizado-formal-por-ano-por-cada-brasileiro/


Aluno lê 1,7 livro ao ano por vontade própria

Pesquisa inédita mostra que outros 5,5 exemplares lidos são didáticos

Os estudantes brasileiros lêem 7,2 livros por ano, mas 5,5 deles são didáticos ou indicados pela escola. Apenas 1,7 livro é lido por vontade e escolha própria. Esses são alguns dos resultados da pesquisa Retratos da Leitura que o Instituto Pró-Livro divulga hoje (28/5) em Brasília, obtidos com exclusividade pelo Estado. Foi a primeira vez que os hábitos de leitura dos alunos de todas as idades foram analisados no País.

O resultado condiz com o mau desempenho dos alunos brasileiros em leitura em avaliações internacionais, como o Pisa. No último exame, feito em 2006, mais de 50% ficaram nos mais baixos níveis de compreensão e interpretação de textos.

A quantidade de livros aumenta conforme a classe social, a escolaridade e a região onde vivem. Entre os que ganham mais de 10 salários mínimos, por exemplo, são 5,3 livros por ano, sem contar os didáticos. O índice é próximo dos registrados em outros países, como Espanha (5 livros por ano) ou Argentina (5,8). Na França, são mais de 7. Já na Região Norte do Brasil, praticamente só se lê o que a escola pede.

Especialistas são unânimes em salientar a importância do livro didático para incentivar a leitura entre estudantes. Mas acreditam que menos de dois livros por ano é uma média baixa. [...]

[...] TV, música, sair com amigos e descansar são itens que vêm antes da leitura na preferência dos estudantes para ocupar o tempo livre.

[...] "O último livro que li foi na 5ª série", diz o estudante do ensino médio Leonardo Matsumura, de 16 anos. Ele conta que, quando os professores solicitam a leitura de um livro, ele procura resumos na internet. [...]

O Instituto Pró-Livro é uma entidade fundada pela Câmara Brasileira do Livro (CBL), pelo Sindicato Nacional dos Editores de Livros (Snel) e pela Associação Brasileira de Editores de Livros (Abrelivros). "Os índices vêm melhorando, mas ainda são insuficientes", diz o presidente da Abrelivros e do instituto, Jorge Yunes.

(O Estado de SP, 28/5)

http://www.ufcg.edu.br/prt_ufcg/assessoria_imprensa/mostra_noticia.php?codigo=7094


Brasileiro lê, em média, 2,5 livros por ano

13/03/2009

O brasileiro lê bem menos que os habitantes dos países desenvolvidos. Aqui, são, em média, 2,5 livros por ano, contra 10 nos Estados Unidos ou 15 em países como a Suécia ou a Dinamarca. Mas apenas 0,9 desses 2,5 livros anuais lidos não são obras didáticas, que as escolas exigem dos alunos. As diferenças regionais brasileiras também conspiram contra o crescimento do hábito da leitura, já que só há livrarias em 30% dos 5.564 municípios.

[...] é seguro afirmar-se que o Brasil tem hoje menos de 2.700 livrarias, 70% das quais são de pequeno e médio porte. Um número muitíssimo inferior ao que seria ideal, na visão da Organização das Nações Unidas (ONU) para um país com 190 milhões de habitantes.

Segundo Vitor Tavares, presidente da Associação Nacional de Livrarias (ANL) e executivo na área há 20 anos, um número razoável no Brasil seria de 4.900 livrarias. "Estamos muito longe desta realidade", admite. Para a ANL, faltam incentivos para que mais livrarias sejam abertas e falta profissionalização para as que estão abertas.

- O Brasil é responsável por 50% da produção de livros de todo o continente latino-americano. O ideal para o país seria o funcionamento de no mínimo 10 mil livrarias para atender de maneira razoável a sua população. No entanto, 89% dos municípios brasileiros não têm livrarias. [...]

http://www12.senado.gov.br/noticias/materias/2009/03/13/brasileiro-le-em-media-25-livros-por-ano


Quantos livros você lê?

19/03/2009

Segundo a pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, publicada em 2008 pelo instituto Pró-Livro, a média anual de leitura do brasileiro é de 4,7 livros por ano. Na Região Sul, a média é maior do que a nacional, com 5,5 livros. O Norte tem o menor índice, com 3,9 livros por habitante. Entre os que têm 3º grau completo, o número é de 8,3 livros, enquanto para quem cursou até a 4ª série, a média é de 3,7.

Não parece um número muito bom, sobretudo quando comparamos com a média de 11 livros anuais dos franceses. [...]

Outro aspecto curioso é que, por mais que se diga que o livro é caro no Brasil (e, de fato, o é), o mercado editorial de livros de bolso (que são mais baratos, entre 8 e 15 Reais o exemplar) tem crescido bastante, e com bons títulos clássicos e famosos muito interessantes – como Shakespeare, Platão, Goethe, Júlio Verne e Moacyr Scliar (para citar autores para diversos públicos e gostos). [...]

http://acertodecontas.blog.br/atualidades/quantos-livros-voce-le-por-ano/


Por que o brasileiro lê menos que os ‘hermanos’ argentinos?

21/06/2011

Quem pensa que o desinteresse pelas letras é um mal do Terceiro Mundo está enganado. Neste ano, Buenos Aires foi eleita a Capital Mundial do Livro pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco). No páreo, estavam ainda outras duas cidades do continente: Caracas (Venezuela) e Havana (Cuba).

Ocupando o mesmo posto da capital portenha, já estiveram Madri, Alexandria, Nova Deli, Antuérpia, Montreal, Turim, Bogotá, Amsterdã, Beirute e Liubliana. Já o Brasil, uma das coqueluches do cenário econômico mundial [...] nem sequer chegou perto da lista.

[...] Quanto ao número de livrarias, a Secretaria de Comunicação da Argentina estima em 3.200 o número delas em todo o país. Aqui, segundo pesquisa feita pela Associação Nacional de Livrarias em 2009, existem 2.980 – embora a extensão territorial do Brasil seja três vezes maior que a da Argentina.

[...] Um dos critérios da Unesco para a candidatura ao título de Capital Mundial do Livro, segundo o site da organização, é submeter um programa consistente de atividades literárias. Na Argentina, inclui desde o simples Yo Leo en el Bar (Eu Leio no Bar), que consiste na colocação de obras do escritor Jorge Luis Borges em famosos bares da cidade, até programas de longa duração com atividades literárias, musicais e teatrais, como o No Hay Ciudad sin Poesia (Não Há Cidade sem Poesia). [...]

http://www.livrosepessoas.com/2011/06/21/por-que-o-brasileiro-le-menos/


Excesso de livros ou escassez de leitores?

06/12/2011

O Estado de S.Paulo

Os dados sobre hábitos de leitura nos levam a um paradoxo. O Brasil apresenta uma produção de livros bastante razoável. Ao mesmo tempo, a média anual de livros lidos é muito baixa. Como explicar isso?

[...] fala-se que o brasileiro lê 1,8 livro não acadêmico por ano. Nos países desenvolvidos essa média é de 10 obras lidas. Na França são 25 livros por ano! Num estudo da Unesco realizado em 52 países, o Brasil ocupou a 47.ª posição. [...]

Quem tem o hábito da leitura lê em qualquer circunstância: na escola, em casa, no transporte, no livro de papel ou na tela do computador, enfim, em todo lugar. [...] é bem provável que a baixa média de leitura no Brasil esteja sendo puxada para baixo pelos vários milhões de adultos que nunca chegaram a formar um bom hábito de leitura.

[...] Mas nessa empreitada precisamos ir depressa, porque a corrida é em relação a um ponto móvel. Nos dados do Índice de Desenvolvimento Humano de 2011, o Brasil perdeu posições por causa da má qualidade da educação. Estamos atrás de Jamaica, Bósnia, Líbano, Chile, Uruguai, Argentina e outros. Até a Venezuela nos passou na frente. E, para melhorar a educação, ler é essencial. Na verdade, ler é educar-se.

http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,excesso-de-livros-ou-escassez-de-leitores-,807294,0.htm



Quantos livros são lidos?

03/2012

[...] Um dos indicadores mais significativos do desenvolvimento leitor nas populações, é a média de consumo de livros por ano: esse indicador para o Brasil foi de 4,0 livros por habitante durante o ano, embora o dado seja inferior à anterior pesquisa. O Chile e a Argentina dominam com 5,4 e 4,6 livros lidos por habitante, respectivamente. Em seguida, temos a Colômbia e o México com 2,2 e 2,9 livros, em média, por habitante. A Espanha registra uma média de 10,3 livros lidos por habitante em 2011. [...]

http://www.prolivro.org.br/ipl/publier4.0/dados/anexos/2834.pdf


O Globo:

28/03/2012

Brasileiro lê, em média, quatro livros por ano, revela pesquisa

O número é menor que de 2007, quando a média era de 4,7 livros

BRASÍLIA - A média de leitura do brasileiro é de 4 livros por ano, sendo apenas 2,1 livros até o fim, segundo a 3ª edição da pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, divulgada nesta quarta-feira. O número é menor do que o registrado em 2007, quando foi feita a 2ª edição da pesquisa. Na época, a média de livros lidos por ano era de 4,7. [...] A Bíblia é o livro mais lido no Brasil, seguido por livros didáticos, romances, livros religiosos, contos e livros infantis. As mulheres leem mais do que os homens. Enquanto 53% delas são leitoras, entre os homens o índice é de 43%. [...]

http://oglobo.globo.com/educacao/brasileiro-le-em-media-quatro-livros-por-ano-revela-pesquisa-4436899


Gazeta do Povo:

29/03/2012

Sem incentivo, brasileiro lê quatro livros ao ano

Índice de leitura caiu em quatro anos; nos países europeus, média é de oito a dez livros lidos ao ano

http://www.gazetadopovo.com.br/vidaecidadania/conteudo.phtml?id=1238649&tit=Sem-incentivo-brasileiro-le-quatro-livros-ao-ano


A leitura no Brasil e em outros países

04/04/2012

O Instituto Pró-Livro, que na semana passada divulgou os principais resultados da terceira edição da pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, disponibilizou no seu endereço eletrônico a apresentação do estudo conduzido em 2011. A entidade também apresentou outro documento que compara alguns resultados apurados no Brasil com números pesquisados em alguns outros países, em diferentes anos. Em relação ao número de livros lidos ao ano, por exemplo, a Espanha aparece em primeiro lugar (10,3), seguida de Portugal (8,5), Chile (5,4), Argentina (4,6), Brasil (4,0), México (2,9) e Colômbia (2,2). Na Espanha, 58% da população lê no tempo livre, número que se compara a 66%, no caso da Argentina, a 28%, no Brasil, e a 5%, no Chile.

http://www.publishnews.com.br/telas/noticias/detalhes.aspx?id=67791


95,6 milhões de brasileiros leem livros

A população brasileira tem o hábito de ler? Quantos livros são lidos por ano no País? O que leva uma pessoa a ler um livro? E o que a leva a não ter o hábito de ler? Para buscar essas respostas e traçar um panorama da leitura no Brasil, o Instituto Pró-Livro realizou a segunda edição da pesquisa “Retratos da Leitura no Brasil”, divulgada em 2008 e com dados coletados no final de 2007.

O levantamento abrangeu 92% da população brasileira a partir dos 5 anos de idade, o equivalente a 172,7 milhões de pessoas. [...] Conforme a pesquisa, em média, o índice de leitura no Brasil é de 4,7 livros por habitante/ano. As regiões Sul e Sudeste ficam acima da média nacional, com 5,5 e 4,9 livros por habitante/ano, respectivamente. No Centro-Oeste, a média é de 4,5 livros por habitante/ano, seguida pelo Nordeste, com 4,2, e pelo Norte, com 3,9.

[...] Na Argentina e no Uruguai, a média de leitura espontânea é de 4,0 livros por habitante/ano. Na França, esse índice chega a 11, e na Suécia, a 15.

[...] Apesar de mais da metade da população ter se declarado leitora, os livros ainda estão longe de ser o passatempo preferido. Apenas 35% da amostra estudada citaram a leitura como uma das atividades realizadas durante seu tempo livre, contra 77% que afirmaram assistir televisão e 53% que disseram ouvir música. A leitura perde ainda para o descanso (50%) e para o rádio (39%). Dos entrevistados que afirmaram ler em seu tempo livre, 79% têm nível superior, 78% possuem renda familiar acima de dez salários mínimos e 73% trabalham e estudam.

“Percebemos que o índice de leitura cai depois que a pessoa sai da escola. Diminui também a procura por bibliotecas. Esses indicadores deveriam se manter para além da sala de aula. Isso mostra que, infelizmente, não estamos formando leitores. [...]”, comenta Zoara.

[...] As entrevistas revelaram também que os brasileiros possuem muitas dificuldades para uma boa leitura: 16% disseram que leem muito devagar; 11% não têm paciência para ler, 7% afirmaram não compreender a maior parte do que leem; e 7% não conseguem se concentrar. [...] “Temos ainda um alto índice analfabetos funcionais, aquela pessoa que lê, mas não compreende o que acabou de ler. Isso é um fator que desmotiva totalmente o indivíduo”, conclui a gerente do Instituto Pró-Livro.

[...] A freqüência às bibliotecas mostrou-se um dado bastante preocupante: 126 milhões de pesquisados, o equivalente a 73%, disseram que não frequentam bibliotecas. [...]

“[...] Ir a bibliotecas não faz parte da nossa cultura. [...]”, avalia Zoara.

Quem não lê?

Segundo a pesquisa, 77,1 milhões de pessoas (45% da população estudada) são consideradas não-leitoras, ou seja, declararam não ter lido nenhum livro nos três meses anteriores à pesquisa. [...] “Nosso índice ainda é baixo perto de países considerados leitores, como a maioria das nações européias. Mas, se conseguirmos ampliar o índice de leitura em 20 ou 30%, já seria um grande avanço”, diz Zoara. [...]

http://www.leituracorporativa.com.br/open.php?pk=321&fk=13&id_ses=4&canal=26


O brasileiro lê, em média 4,7 livros por ano contra 10 nos EUA ou na França e 15 nos países nórdicos. Dos 4,7 livros lidos pelos brasileiros,apenas 0,9 não são livros didáticos.

A Unesco (Organizações das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) recomenda que haja uma livraria para cada 10 mil pessoas. No Brasil, com 190 mil habitantes, temos [...] uma para cada 70 mil habitantes.

http://www.fhaznew.com/2009/06/curiosidades-livros.html


Por que ninguém lê direito no Brasil

20/04/2012

O país nunca se sai bem na mais importante avaliação internacional de leitura. O que fazer para mudar essa realidade – em 40 anos

[...] A cada três anos, o Programa Internacional de Avaliação de Alunos (Pisa, na sigla em inglês) compara o desempenho de alunos de 15 anos de diversos países em três áreas do conhecimento: leitura, ciências e matemática. Na próxima semana, a Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) vai divulgar como andam as habilidades de leitura dos jovens e até que ponto eles conseguem compreender um texto, localizar e associar informações, fazer um raciocínio lógico sobre elas e tirar conclusões. A prova foi realizada no ano passado por cerca de 50 mil alunos sorteados em 990 escolas públicas e particulares do país. A chance de o Brasil ficar bem colocado nesse ranking é diminuta. Em 2000, nossos alunos ficaram em último lugar. O país passou para a 37ª posição em 2003, entre 41 nações. Em 2006, ficou em 48º entre 56 participantes, com uma nota pior que a anterior. Não há motivos para esperar que no Pisa 2009 o Brasil consiga uma posição melhor.

Não é que não tenhamos feito alguns avanços – o maior deles foi a universalização do ensino fundamental. Mas estamos longe de uma educação de qualidade, que inclui inculcar nas pessoas o hábito da leitura e desenvolver nelas a capacidade de compreender textos complexos. Para atingir essa meta, a escola precisa avançar muito. Não só ela, a sociedade também. Em alguns dos países líderes do ranking, como Finlândia e Canadá, o hábito de leitura vem de casa. [...] O brasileiro lê, em média, 4,7 livros por ano. Nos Estados Unidos e na França são dez. Na Finlândia, o país que mais ganhou o Pisa, 21.

Isso leva a crer que não devemos esperar grandes melhoras na leitura de um Pisa para o outro, e sim de uma geração para a outra. Como fez a Coreia do Sul. Há 60 anos, o país tinha altos índices de analfabetismo e quase metade das crianças e jovens fora da escola. Eles instauraram uma reforma educacional há 40 anos, apostando na leitura como base. [...] Em 2006, a Coreia tomou da Finlândia o primeiro lugar em leitura no Pisa.

[...] Dentro das salas, o desafio começa pelos professores. Sem formação adequada, eles têm de ensinar o que não sabem. [...]

http://www.cfb.org.br/noticias-cfb.php?codigo=634

http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/0,,EMI192851-15228,00-POR+QUE+NINGUEM+LE+DIREITO+NO+BRASIL.html


ONGs do DF fazem ação de doação de livros infantis para incentivar a leitura

Agência Brasil 14.02.2013

Brasília - Letícia tem 6 anos e não gosta de ler. O motivo é simples: "tenho preguiça". Ela não está sozinha. De acordo com a pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, divulgada no ano passado pelo Instituto Pró-Livro, os brasileiros leem em média quatro livros por ano, sendo que menos da metade é lido na íntegra. [...]

A escritora Alessandra Roscoe, do Uni duni Ler, explica que muitas vezes a leitura do livro é encarado como um castigo, porque é ensinado assim pelos pais. "Quando a criança fica de castigo não pode ver TV, não pode jogar videogame, mas pode ler. Isso começa a ser encarado como algo negativo". A pesquisa do Instituto Pró-Livro comprova o que diz a escritora: apenas 18% dos brasileiros têm a leitura como uma atividade prazerosa. Entre crianças de 5 a 10 anos, o índice de leitura é baixo: 14% leram pelo menos um livro integral ou parcialmente nos últimos 3 meses. [...]

http://www.ebc.com.br/cultura/2013/02/ongs-do-df-fazem-acao-de-doacao-de-livros-infantis-para-incentivar-a-leitura


Instituto Pró-livro

Brasil:

2007: 4,7 livros por habitante/ano

2011: 4,0 livros por habitante/ano

http://www.prolivro.org.br/ipl/publier4.0/dados/anexos/2834_10.pdf

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Também no FANDOM

Wiki aleatória