FANDOM


Ingestão de líquidos durante as refeições

InternetEditar

Afirmar que ingerir líquidos durante as refeições engorda ou aumenta a barriga é um mito. O que acontece é que o excesso de líquido misturado aos alimentos pode dilatar o estômago, provocando uma sensação de “inchaço abdominal”, o que muitas vezes é confundido com o aumento da barriga.

Se você cultiva sempre esse hábito em todas as refeições, o seu estômago sofre essa dilatação, se torna mais "elástico". Quando o estômago está dilatado, manda uma mensagem ao cérebro avisando que ainda existem espaços vazios para serem preenchidos, então você não se sente saciado e consome mais alimentos do que normalmente seria necessário.

Esse aumento na quantidade de alimentos consumidos é que ocasionará o ganho de peso e, consequentemente, poderá contribuir para o aumento da gordura abdominal.

O problema está na quantidade ingerida. Apesar de ser importantíssimo beber bastante líquido durante o dia (cerca de 2 litros), o ideal é que não sejam ingeridos em grande quantidade durante as refeições.

O maior prejuízo de se ingerir muito líquido durante as refeições está em relação a digestão. Depois da mastigação, o alimento passa pela faringe e esôfago, e vai para o estômago, onde está presente o suco gástrico, essencial para o processo de digestão.

O suco gástrico é composto, entre outras substâncias, por ácido clorídrico, pepsina e renina. A renina é uma enzima que age sobre a caseína (uma das principais proteínas do leite) e é produzida pelo estômago durante os primeiros meses de vida. O ácido clorídrico é o responsável por manter baixo o PH do estômago. E a pepsina é a enzima responsável pela quebra das proteínas.

Quando ingerimos muito líquido durante as refeições, a concentração de ácido clorídrico presente no estômago diminui e algumas enzimas são diluídas e dessa forma prejudica a digestão dos alimentos e pode ocasionar indigestão, gases e flatulências.

O excesso de líquido também poderá diminuir a absorção de alguns nutrientes, pois os alimentos passam mais rapidamente pelo intestino, local onde ocorre a absorção.

Para as pessoas que não conseguem abandonar esse costume, o tipo de líquido ingerido também é importante, os refrigerantes são mais prejudiciais, pois possuem gases que dilatam ainda mais o estômago. Nesse caso, o recomendado é que você beba água ou um suco de frutas natural.

O maior problema está na quantidade ingerida. Apesar de ser importantíssimo beber bastante líquido durante o dia (cerca de 2 litros), o ideal é que não sejam ingeridos em grande quantidade durante as refeições.

Se você não consegue ficar sem a água ou qualquer outro líquido enquanto almoça ou janta, procure não ultrapassar a quantidade de 1 copo de 200ml. Nos intervalos entre as refeições beba água a vontade.

Fonte: http://informesaude.blogspot.com/2008/06/ingerir-lquido-nas-refeies-prejudicial.html


Ingerir um pouco de líquido durante as refeições não é tão problemático assim. "Desde que não seja sempre", diz a médica especialista em nutrição, Carla Valéria de Alvarenga Antunes. O mais indicado, segundo ela, é beber uma hora antes e uma hora após as refeições. "Isso não impede que uma pesoa que tenha que tomar um remédio depois do almoço beba o comprimido com um pouco de água", comenta.

Já para a nutróloga Alice Amaral, não há problema em beber sempre, desde que não ultrapasse a quantidade de 200ml. "Medicina é igual amor. É nem sempre e nem nunca. Você não vai comer uma comida a seco, não é? Mas se você bebe muita água, você mastiga menos que deveria", diz. Em um ponto as duas concordam: tomar refrigerante não traz benefício em momento algum. É melhor sempre evitá-lo, seja antes, durante ou depois das refeições. Além de engordar, ajuda no aparecimento das temidas celulites. Os apropriados são os sucos naturais ou água.

Fatores negativos ao ingerir líquido durante as refeições Quem come fibra sabe que esta é uma forma de facilitar a digestão. Mas se você ingerir água ou qualquer outro líquido, a fibra vai passar mais rápido pelo intestino, diminuindo sua função. Outro problema é que o estômago produz o ácido clorídrico que é bem concentrado para digerir os alimentos. A água dilui este ácido e prejudica sua atividade, que acaba atuando menos em cima do alimento. "A médio e a longo prazo, pode atrapalhar o processo de digestão", enfatiza Alice.

Quem possui problemas como refluxo, esofagite, gastrite, hérnia de hiato e outros problemas na mucosa gástrica, ingerir líquidos não é nada apropriado. "Quanto mais líquida a refeição, na hora que o estômago contrai é mais fácil do alimento, misturado a água, refluir para o esôfago, causando esofagite", explica Carla. "Se a pessoa possui alguma patologia digestiva, a ingestão de líquido pode atrapalhar. É uma questão de bom senso", diz Alice.

Fonte: http://www.acessa.com/viver/arquivo/nutricao/2005/03/29-agua/


Quando ingerimos líquidos (água, sucos, e refrigerantes, sendo este último ainda mais nocivo) com as refeições, ocorre à diluição do suco gástrico com a modificação do pH local fazendo com que a atividade enzimática fique comprometida. Por exemplo, a pepsina precisa de um meio ácido estomacal para ser formada a partir do pepsinogênio, o que é somente garantido com a ótima secreção de ácido clorídrico (HCl).

O mesmo, por provocar a redução do pH estomacal, favorece não somente a melhor digestão, mas otimiza a absorção de ferro, cálcio, piridoxina, zinco, entre outras vitaminas/minerais, utilizadas em diversas reações bioquímicas.

A diluição, portanto do ácido clorídrico durante uma refeição com grande quantidade de líquido favorece uma menor eficiência na absorção de vitaminas/minerais e um déficit clorido-péptico, contribuindo com a má digestão protéica e para a ocorrência de sintomatologias digestivas muito referidas como a distensão abdominal, diarréia/constipação e sensação de plenitude gástrica.

As pessoas que têm necessidade de ingerir líquidos com as refeições normalmente possuem uma baixa ingestão hídrica ao longo do dia e associam o ato de comer a hora de se hidratar. A inclusão de líquidos durante as refeições também se deve, em parte a má mastigação, característica bastante comum em pessoas cada vez mais preocupadas, estressadas e com menos tempo destinado à sua alimentação.

Para quem tem este péssimo hábito de beber líquidos junto às refeições, existem algumas dicas importantes! A primeira e talvez a mais importante é a MASTIGAÇÃO! A mastigação estimula a produção de saliva que além de umedecer os alimentos favorecendo a deglutição possui enzimas digestivas que já iniciam o processo de digestão dos alimentos. Quem não mastiga tem a sensação de que a comida está seca mesmo e torna mais difícil o processo digestivo.

A segunda dica é, pelo menos, evitar as bebidas gaseificadas (água com gás e refrigerantes) e limitar-se a 200 ml de líquidos por refeição (um copo pequeno de água ou suco). Primeiramente, faça toda a refeição e depois tome o líquido bem lentamente em pequenos goles. Gradativamente vá reduzindo a quantidade de líquidos ingeridos até a total exclusão.

O ideal seria não tomar líquido nenhum de 30 minutos até 2 horas depois das refeições (tempo necessário para a digestão dos alimentos).

Outra dica é evitar preparações muito secas como: farinha, farofas e empadão, além de não exagerar no sal, pois pratos muito salgados darão mais sede. Esse processo pode levar meses, mas é importante tentar. Com o tempo, o líquido não fará falta nenhuma! Pelo contrário, deixar de tomar líquidos com as refeições só fará bem para sua saúde!

Fonte: http://www.sitemedico.com.br/sm/materias/index.php?mat=1204


Segundo Mariana, uma idéia é que se consuma água antes das refeições diárias. Assim, o líquido é rapidamente esvaziado do estômago, permitindo que a acidez gástrica se recupere. "Além disso, como a sensação de sede pode ser confundida com a de fome, uma vez satisfeita a necessidade de líquido, o apetite será proporcional à necessidade de consumo de alimentos, evitando compulsões", explica.

E são as compulsões alimentares, acompanhadas das calorias ingeridas em excesso, que podem se transformar nos grandes vilões da barriga. "A região abdominal, normalmente, é a que tem a maior facilidade em depositar as gorduras, decorrentes de calorias ingeridas em excesso", comenta Débora.

De acordo com a nutricionista, o ideal seria que não se bebesse líquidos durante a ingestão de alimentos. "Além de aumentar a dilatação do estômago, beber água dificulta a digestão", explica. Mas se é difícil se deliciar com aquele saboroso prato sem um copo ao lado, vai a dica: "prefira, então, um suco de fruta cítrica, porque a vitamina C auxilia a absorção do ferro, provenientes das leguminosas e verduras".

Fonte: http://beleza.terra.com.br/mulher/interna/0,,OI2673542-EI7600,00.html


Tudo depende da quantidade, ou seja, você pode consumir líquidos com as refeições, procure evitar refrigerantes e bebidas alcoólicas pelo fato desses serem prejudiciais a saúde. Os sucos e a água podem ser consumidos, mas no máximo um copo, e de preferência um copo pequeno. Muitas vezes é indicado que o liquido da refeição seja evitado, para fazer com que o indivíduo consumo os alimentos que compõe o almoço e o jantar evitando dessa forma que essas refeições sejam substituídas por sucos, refrigerantes, leites entre outras bebidas.

Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/folha/colunas/nutricaoesaude/ult696u160.shtml


ConclusõesEditar

É melhor evitar a ingestão de líquidos durante as refeições. Melhor tomar líquidos um hora antes das refeições e uma ou duas horas depois. Se for ingerir, evitar que ocorra com muita frequencia, evitando refrigerantes e líquidos gaseificados, dando preferencia à sucos cítricos, na quantidade de um copo pequeno.


voltar para Nutrição

SitesEditar

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Também no FANDOM

Wiki aleatória